quarta-feira, 12 de agosto de 2009

CCSP

O site do Clube de Criação de São Paulo é, sem dúvida, um dos mais importantes do Brasil. Sempre fiz minhas pesquisas sobre publicidade nele. Fosse pra aulas, trabalhos do mestrado ou inspiração profissional. Esta semana fui supreendido. Quando tentava baixar um anúncio para usar como exemplo em uma aula, fui informado que o acesso à seção Novo!, a partir daquele momento, era exclusividade para sócios.
Hoje, no twitter, questionei a Marcello Serpa o por que de limitar o acesso a não sócios. Vejam a resposta:




E vocês, o que acham da cobrança por conteúdo na internet?

2 comentários:

Suelen Dias disse...

Ainda não tenho uma opinião formada a respeito, mas também não gostei nada de não conseguir visualizar nenhum dos anúncios da sessão Novo do CCSP. Me senti excluída. A verdade é que estávamos tão acostumados a ter aquele tipo de conteúdo gratuito que fica complicado achar que a atitude é tão comum quanto em vários outros sites.

Fernando Petersen disse...

Entendo o Marcello. Digo isso pois também possuo um site que veio com o intuito de apoiar a Música Eletrônica em Salvador. Com o crescimento, precisei cobrar por alguns serviços. Infelizmente, temos gastos... No meu caso haviam gastos de transporte para as pessoas irem fotografar, domínio, servidor, fora o tempo que eu precisava dedicar para mantê-lo atualizado.
Claro que esse não é exatamente o caso do Marcello, já que tal pesquisa vale também para o crescimento dele, mas também os custos dele, creio, sejam muito maiores do que os meus.
Levando a pergunta para a forma generalizada "Cobrança por conteúdo na Internet", eu sou totalmente à favor. Tem muito trabalho bom que deve ser valorizado monetariamente sim. Como disse, elaborar informação para terceiros requer tempo, pesquisa, conhecimentos e ESTUDOS. A cobrança acaba sendo um estímulo para a continuidade do trabalho, visto que precisamos pagar nossas contas... Já imaginaram se um reporter não cobrasse para apresentar uma matéria nos telejornais? rs

Fernando Petersen (estudante de 2º semestre de Publicidade e Propaganda da Unifacs)