terça-feira, 11 de agosto de 2009

Novas Abordagens

Muito tem se falado sobre as novas maneiras que a publicidade tem encontrado de impactar o público-alvo. No meio visual, existe uma maneira bem simples de entender este movimento. Durante muito tempo, bastava colocar um comercial de 30 segundos no ar e todo mundo via. Aí inventaram o controle remoto. Muita gente passou a mudar de canal justo na hora do break comercial. Então os anunciantes foram para dentro dos programas, fazendo merchandising editorial e product placement. Mas então chegou a TV a cabo. Em vez de 5, os espectadores começaram a conviver com 50, 60 opções de canal. O programa favorito de muita gente, passa a ser zapear. E aí, os anunciantes inventaram o branded content. Ou seja, o negócio agora é gerar conteúdo. Pode ser formatos diferenciados de comerciais, programas, documentários e até curtas metragens. O objetivo quase sempre é oferecer um conteúdo, sobre um assunto de relevância para um determinado público. A marca em si, não precisa ter muito destaque. E aí, acabou? Não, com o desenvolvimento da TV digital, a tendência é que os anunciantes não só criem conteúdo, mas grades inteiras de programação. Quer dizer, é possível que, em um futuro muito próximo, existam canais exclusivos de anunciantes. No meio rádio, isso já é uma realidade. Oi, Mitsubishi e Sulamerica são exemplos bem sucedidos de marcas que dão nomes a emissoras.

Um comentário:

Gabriela disse...

Muito interessante a iniciativa da Rádio Sulamérica que você citou na sala: uma rédio só sobre o trânsito. Não sei se aqui em Salvador pegaria, afinal o tréfego aqui ainda não está tão mal. Mas como foi citado pelo colega, temo a Itaparica com "A Hora do Nana Banana".